Startups O que é cap table e por que ele é tão importante para uma startup?

O que é cap table e por que ele é tão importante para uma startup?

Dominar o conceito de “cap table” é imprescindível para uma jornada empreendedora de sucesso. Por isso, neste artigo explicaremos o que é cap table e o motivo pelo qual ele é fundamental para os empreendedores e investidores de qualquer startup.

 

O que é cap table?

O cap table é a abreviação de “capitalization table” (em português, “tabela de capitalização”). Trata-se do registro de como as participações atuais e futuras de uma determinada empresa estão divididas entre os seus stakeholders* – algo primordial na hora de buscar novos investimentos, trazer novos sócios, criar um plano de stock options para colaboradores ou vender o controle da empresa. 

Por mais que em um primeiro momento o cap table aparente ser uma simples equação, engana-se quem subestima sua real complexidade.


Mas o que pode fazer um cap table ser tão complexo?

No começo da startup, é comum que o cap table esteja dividido entre os poucos sócios fundadores do negócio. Um template de planilha no Excel contendo o nome da pessoa e sua respectiva participação parece resolver, mas, conforme a startup se desenvolve, o controle das participações fica exponencialmente mais complexo:

  • Criação de novos option pools
  • Realização de rodadas com SAFEs ou mútuos conversíveis;
  • Múltiplas outorgas de opções e controle de vários calendários de vesting simultâneos;
  • Saídas de colaboradores e controle de prazos de exercício;
  • Múltiplas rodadas de investimento com diferentes termos;
  • Uso de diversos templates contratuais diferentes entre si;
  • Emissão de novas classes de ativos;
  • Acúmulo de transações secundárias; 
  • Regras complexas de diluição entre os conversíveis e as opções.

 

Essas são algumas das causas para tal complexidade – afinal, todos os elementos acima precisam estar corretamente registrados no cap table.

 

E quais as informações necessárias para registrar o cap table de forma adequada? 

Para evitar discussões desnecessárias entre os sócios e demais stakeholders, é fundamental ter clareza sobre o que e quanto cada um possui da empresa. 

O cap table precisa conter não apenas a participação atual de cada um, mas também as quantidades e as especificações sobre as diferentes classes de ativos – como principais direitos, obrigações, vestings e datas de vencimento (se houver). 

 

Leia também: Os principais erros na hora de gerenciar um cap table (e como evitá-los)

 

Afinal, qual a melhor forma de manter o cap table correto e sempre atualizado? 

Se o fundador do negócio insistir em fazer a gestão do cap table de forma manual, não são poucas as chances de ocorrer algum erro durante o processo (a grande maioria das empresas possui problemas no cap table e sequer têm consciência disso). Somado a isso, manter o cap table sempre atualizado com o controle sobre os diferentes ativos no Excel é algo que demanda muito tempo e energia do empreendedor.

 

Você terá que ser extremamente cuidadoso e disciplinado para deixar tudo atualizado, e infelizmente essa não é a melhor forma de investir seu tempo gerando valor para a empresa.– Otto, CEO e fundador da Mais Mu.

 

Por esse motivo, cada vez mais empreendedores têm optado por digitalizar os cap tables de suas startups em softwares inteligentes de gerenciamento de equity, a exemplo do Basement (saiba mais sobre os motivos para as startups estarem digitalizando seus cap tables aqui). 

Ao contar com uma plataforma como o Basement, o empreendedor garante que todas as informações de seu cap table (incluindo contratos, documentos, participações e datas importantes) estejam centralizadas, corretas e atualizadas para todas as partes interessadas. Assim, ele evita dores de cabeça desnecessárias e pode investir seu tempo e energia no que de fato importa: o crescimento do seu negócio.

Confira abaixo um exemplo de como funciona o registro do cap table na plataforma de gerenciamento de equity do Basement: 

 

cap table

*Stakeholders são todas e quaisquer pessoas que detenham participações atuais ou futuras no capital social da empresa. Ou seja, podem ser fundadores, sócios/acionistas, colaboradores, mentores e investidores. Exemplo: uma empresa com dois fundadores, quatro investidores e dez colaboradores com opções teria dezesseis stakeholders.

No Basement, já são centenas de startups digitalizando suas vidas societárias através de uma plataforma segura e sempre atualizada. 

Para assumir o controle do seu cap table e proporcionar uma nova experiência de acompanhamento para seus acionistas, é só se cadastrar abaixo que entraremos em contato com você:


Comentários

Nenhuma resposta para esse artigo.

Deixe seu comentário

powered by Logo